sábado, 21 de maio de 2011

DESPERTAR


Silenciosa palafita,
Enamorada encanta o rio.
Misteriosa e parasita,
Reflexos mágicos de cio.
Vigia ao longe a bendita,
Terceira Margem do Rio.

Ama o canto o pescador,
Embalado pelo destino,
Melodia, ritmo e cor,
Vaga, flor e espinho.
Esperança de descobridor
Alimento, rezas, caminho.

Na voz de um cantador,
No braço de um pinho,
Nas asas de um beija-flor
Voa esmo de seu ninho.
Espia o correr do rio,
Navegador bailarino!

E a criação e o criador,
Bailam em desalinho,
Cantigas, sonhos e dor.
Enquanto, o astro clareia,
Cristalino num anzol,
Eterna sina incendeia,
Nova manhã de sol!

Nenhum comentário: